A Tartaruga e o Coelho

Muitos pensam que a velocidade é a chave para o sucesso, mas isso pode não funcionar o tempo todo. Frequentemente é necessário firmeza e estabilidade. Uma história infantil ilustra esse princípio.

Certa vez, uma tartaruga e um coelho tiveram uma discussão. O coelho se orgulhava de sua
velocidade e zombava da tartaruga, que se movia muito devagar. A tartaruga não se aborreceu com as palavras de crítica. Ela era uma iogue e os iogues respiram muito devagar e vivem por muito tempo. Uma tartaruga retrai seus membros quando há apreensão ou medo. Isso demonstra paciência, perseverança, autocontrole e domínio da respiração.

As duas criaturas concordaram em competir para exibir suas habilidades e sucesso. A competição foi uma corrida, quem chegasse primeiro à linha de chegada, seria vitorioso. Sabemos que uma tartaruga anda devagar, enquanto um coelho corre rápido.

No horário estipulado, a corrida começou. O coelho começou a correr e a tartaruga caminhou com seu movimento lento e uniforme. O sol estava ficando mais forte, então, o coelho olhou para trás e não viu a tartaruga. Ele achou que seria bom descansar um pouco, antes de correr até a linha de chegada.

– Aquela pobre tartaruga deve andar como um preguiçoso – pensou o coelho.

Confiante de que seria o vencedor, deitou-se e dormiu à sombra de uma árvore. Mais tarde, quando a tartaruga estava passando, viu o despreocupado e relaxado coelho dormindo profundamente sob a árvore. Ela prosseguiu em sua marcha lenta.

Depois de algum tempo, o coelho acordou. Ele olhou para trás e não conseguiu ver a tartaruga. Olhou para a frente e também não a viu. Então, ele alegremente começou a correr em direção à chegada. Chegando ao destino, ele teve uma grande surpresa. A tartaruga já estava sentada lá, com um grande sorriso de vitória no rosto.

Devagar e sempre, vencemos a corrida. Não é assim? Aqueles que são pacientes podem parecer lentos, mas são seguros. Pessoas impacientes estão com pressa, agitadas, estressadas e, muitas vezes, em apuros. Elas são ansiosas e inquietas, não têm calma, aceitação nem tolerância.

Extraído do livro: Praticando a Paciência, de Paramahamsa Prajnanananda

2 comentários

  1. Também, não precisa malhar tanto os impacientes, eles ainda têm o ego inflamado, que tal, ser bondoso e tolerante para com os impacientes! Eles ainda não adquiriram essa virtude, para tudo há um tempo certo, para cada propósito da vida.

Deixar uma resposta

0
    0
    Seu carrinho
    Seu carrinho está vazioVoltar à loja